ANALISANDO O PROTESTANTISMO (PARTE I) 
 
O Protestante é alguém que por falta de Sabedoria acha que a interpretação da Sagrada Escritura é absolutamente livre. 
 
Foi Lutero quem, revoltando-se contra o Papa, levantou o princípio do livre exame da Bíblia, afirmando que toda pessoa é livre de interpretar a Escritura como lhe parecer. 
 
O que leva qualquer Protestante, de qualquer igrejola, a se arvorar como infalível intérprete da palavra de Deus. 
 
“Nenhuma profecia da Escritura é de interpretação particular” (II Pedro, 1, 20).
 
 
E o Protestante lê a Bíblia e interpreta a Escritura como bem entende, recusando aplicar o que lê. 
 
É assim que os protestantes respeitam a Bíblia: fazendo o contrário do que ela manda. 
 
De que adianta ler, se não se entende o que se lê?  
 
O Protestante lê a Bíblia como o eunuco da rainha de Candace:
(At. 8,30-31)
lê, mas não entende o que lê.  
 
“A letra mata”
(2 Cor. 3,6
),  e a letra matou o protestante 
 
O livre exame protestante fez da Bíblia um livro “chicletes”. Cada herege, puxa  e estica a Bíblia  para onde quer, faz até bolinha de vento com ela, e depois explode seu achismo na cara dos outros, julgando que foi o Espírito Santo quem o fez achar tal e tal coisa 
Daí a multiplicação de seitas protestantes, cada uma dela arvorando-se como verdadeira igreja.
Na realidade, cada protestante é, ele sozinho, uma seita, visto que ele crê que é o único intérprete infalível da Bíblia.  
 
Mas como manter a unidade da Fé, se cada um interpretará a Bíblia a seu modo, livremente, como disse Lutero? 
 
Com o livre exame é impossível a unidade da Fé 
 
Só a verdade é una, como só Deus é uno 
 
O erro é múltiplo. E o protestantismo é múltiplo. Logo, os protestantes estão errados.  
O protestantismo é uma nova Torre de Babel, na qual cada um se proclama infalível.
Qual das mais de 50.000 seitas  estaria com a verdadeira interpretação da Bíblia?

Negando a autoridade e a infalibilidade de Pedro, o protestantismo, pela afirmação do livre exame, proclama que todo leitor da Bíblia é Papa, e Papa infalível 
 
Algum Protestante por acaso recebeu de Cristo “as chaves do Céu”? 
 
E  a loucura e a contradição dos “invejélicos” é tanta, que eles afirmam que TODA interpretação da Bíblia  é livre, e por isso, é também válida. Mas afirmam ao mesmo tempo  que a interpretação da Igreja Católica é falsa. (sic) 
 
O Protestante só crê nele mesmo. O Protestante é seu próprio ídolo 
 
O Protestante negaria até Cristo em pessoa, se Ele lhe aparecesse dizendo o contrário do que pensa o “consenso do protestantismo”.  
 
Epa!!!  Consenso??? 
 
Mas, Não existe Consenso, entre os protestantes.  
 
AS duas únicas coisas em que os protestantes estão de acordo entre si, é Que não concordam com nada e no ódio à Igreja Católica. 
 
“Vêde como eles odeiam, e como se odeiam”….  poderia ser dito deles.
 


 

……………………………………………………………………………………………………………………. 

ANALISANDO O PROTESTANTISMO (PARTE II) 

O Protestante é alguém furiosamente cheio de ódio a Nossa Senhora.  
 
Assim, se lê em São Lucas: 
 
“Aconteceu que, apenas Isabel OUVIU A SAUDAÇÃO DE MARIA, o menino saltou em seu ventre e Isabel ficou cheia do Espírito Santo”  ( Luc. 1, 41).
 
 
Repare que com o Protestante acontece o contrário:
 

Basta ouvir a “saudação de Maria”, Que o Protestante não fica cheio do Espírito Santo, mas sim, cheio de furor contra a Virgem Maria.


Qual será então o espírito que enfurece o Protestante? 
 
Meditem bem nisso, mas não é difícil descobrir.  
 
Aquela que o anjo saudou por ordem de Deus, poderia ser ofendida por um Protestante qualquer sem que Deus se incomodasse? 
 
E Cristo seria um filho tão pouco amante da honra de sua Mãe santíssima que admitiria no céu os Protestantes, apesar de tantas negações da honra de Maria?  
 
Que filho receberia em sua casa aquele que ofendeu sua mãe?  
 
A Protestante Pensa que Deus tolera a desonra de sua própria Mãe!! 
 
Ele imagina possível esse absurdo e essa blasfêmia 
 
Finalizo com um Conselho: 
 
Protestantes, Recorram  a Maria, e ela lhes alcançará o perdão de tantas ofensas que fizeram à Mãe de Cristo.  
 
Ou  vocës presumem que entrarão no céu, tendo ódio à Mãe de Deus? [
 

SOU CATÓLICO… PODE ME ELOGIAR .

…………………………………………………………………… 

ANALISANDO O PROTESTANTISMO ((PARTE III) ( NÃO É DE MINHA AUTORIA)

.

. 
O protestante é aquele que “protesta contra a Igreja Católica”.  
 
Sua doutrina não tem unidade, suas igrejas não são infalíveis, sua hierarquia não é rígida, seus preceitos são secundários, pois o que importa é “crer”em Cristo.  
 
Sobre a unidade, eles se unem contra a Igreja.  
 
Sobre a infalibilidade, eles negam na Igreja Católica, mas defendemem sua interpretação pessoal, que não admite provas em sentido contrário,ainda que mais absurdas sejam suas teses.  
 
Sobre a hierarquia, eles obedecem apenas enquanto lhes convém, paralogo depois fundarem uma Igreja que melhor se adapte à suas convicções subjetivas. 
 
Sobre os preceitos, basta ter fé, pois aquele que tem fé se salva…  
 
No fundo, eles só acreditam neles mesmos, pois utilizam-se da Bíblia para justificar suas crenças, já que não seguem uma Igreja determinada enem devem obediência ao seu pequeno líder.  
 
Em vez de consultarem as aves, como os romanos, ou os astros, como osgregos, os protestantes consultam a Bíblia, dando eles mesmos, ao texto,o sentido de que precisam e que mais se adapta a seus caprichos ou seus interesses. 
 
Todo o livro precisa de uma interpretação autêntica, feita por uma autoridadecompetente, senão é uma letra morta, e a letra morta só pode dar a morte. 
 
É o que clara e energicamente exprime S. Paulo:
“A letra mata e o espírito vivifica” (2 Cor 3, 6). 
 
E ainda: “Para que sirvamos em novidade de espírito, e não na velhice da letra”
(Rom 7, 6).
Os judeus estavam na velhice da letra; Cristo trouxe a novidade de espírito e os protestantes rejeitam este espírito.  
 
Como tal, os protestantes não têm dogmas porque o dogma exige uma verdade contida na Sagrada Escritura, e declarada autêntica pela autoridade competente. 
 
O Protestante tem a Bíblia (embora sem alguns livros e com interpretações diversas),  
 
porém não possui nenhuma autoridade superior, infalível, para declarar que uma palavra tem tal sentido, e exprime tal verdade.  
 
Não tem moral fixa, estável, porque “basta crer” e “fazer o que quiserem”, como diz Lutero, o que exclui toda moral.  
 
Não tem culto público, porque o culto é a expressão da crença e sendoa crença individual, o culto igualmente deve ser individual.  
 
No fundo, o que fazem então os protestantes?  
 
Eles protestam, criticam, censuram a Fé católica para substituí-la pela negação, pela revolta contra a autoridade do Papa, etc.  
 
Esse é o laço que os une, pois a essência do protestantismo é a negação da Igreja Católica.  
 
Não duvidamos que existam protestantes por ignorância.  
 
O que dizemos é que a essência do protestantismo é a revolta contra a autoridade da Igreja de Cristo.  
 
A Igreja tem seus dogmas, eles os combatem  
 
A Igreja possui uma moral pura, santa, um sacerdócio virgem. Guerra, pois ao celibato!  
 
A Igreja é baseada sobre o papado. Guerra ao papado!  
 
A Igreja possui um culto majestoso, atraente, manifestação da sua fé e de seu amor. Guerra, pois ao culto da Igreja!  
 
A Igreja honra de um culto de adoração a pessoa de Cristo; de um culto de super veneração a Imaculada Mãe de Deus, e de um culto de veneração aos santos. Guerra, pois aos santos.  
 
O protestantismo não possui santo nenhum! Então, gritam:  
 
“são ídolos… adoram as imagens… são idólatras!”  
 
Pobres protestantes, como dizia o Pe. Júlio Maria: “os ídolos são eles”.  
 
O protestante “é um ateu envolvido na capa de uma Bíblia…  
 
conservando só a capa, sendo ele mesmo o texto da Bíblia, isso é, sua própria vontade, pela livre interpretação”.  
 
Aos protestantes, deixai de protestar e voltai à religião dos vossos pais, à religião de Jesus Cristo, ensinada pela Igreja católica.  
 
Ela é a única que possui dogmas imutáveis e faz praticar uma moral santa e santificante. 
 
a única que possui um culto interior, exterior, digno de Deus e dos homens. 
 
a única, enfim, que foi fundada por Jesus Cristo, e atravessou os séculos, sempre a mesma, sempre idêntica, sempre divina, porque com ela está o Espírito de Deus:  
 
“Eis que eu estarei convosco até o fim dos tempos” (Mt 28, 20)


 

ANALISANDO O PROTESTANTISMO PARTE IVAutor: Jaime Francisco de Moura

1) O protestante é aquele que segue a revolta iniciada contra a Igreja Católica em 1517. É seguidor de várias doutrinas que surgiram 1500 anos depois da era Apostólica.2) O protestante é aquele que protesta contra a Igreja Católica, usa a Bíblia, porém, não possui nenhuma autoridade superior, infalível, para declarar que uma palavra tem tal sentido, e exprime tal verdade.

3) O protestante tem sua fé alicerçada na emoção. A religião, para ele, resume-se em um estado de espírito agradável, em uma sensação que forçosamente um dia irá passar. O protestante toma uma experiência emocional por uma revelação, e um estado emocional pela graça de Deus. A fé edificada sobre a emoção não é fé verdadeira, mas mera busca de recompensa rápida, tão pouco profunda e ineficiente.

4) O protestante gosta de apoiar-se em ameaças de castigos e de fim de mundo, usando trechos da Bíblia. Acredita ter uma iluminação “direta” do Espírito Santo, sem intermediários, ou seja, sem a Igreja. No fundo, cada protestante se julga juiz da Bíblia.

5) O protestante se afirma salvo, porém, crê em um “Jesus” diferente, sendo que o “Jesus” dos Batistas parece ser diferente do “Jesus” dos Metodistas , que parece ser diferente do “Jesus ” dos Adventistas, que também parece ser diferente das demais igrejas protestantes. São mais de 33.000 denominações pregando vários “Jesuses” diferentes, um do outro.

6) O protestante adota uma interpretação particular da Bíblia como única norma de vida. Seu texto se converte em arma de ataque e de defesa frente a estranhos. Costuma Memorizar “versículos-chave” para tanto. Não se preocupa muito com o contexto das citações e nem com a verdade histórica de suas afirmações.

7) O protestante costuma desenvolver uma mentalidade de natureza fundamentalista. Seu fervor religioso nasce como reação a um mundo complexo e hostil que ameaça certos princípios qualificados como “intocáveis”. Exclui o uso da razão de sua compreensão bíblica e cai facilmente na irracionalidade total. Sua argumentação freqüentemente espelha medo e incerteza, desconhecendo o diálogo lógico e racional.

8) O protestante vive num ambiente de “supostos fiéis do povo escolhido”. Segundo tal, o mundo os persegue porque somente eles têm permanecido fiéis ao que Deus quer. Isto provoca uma profunda suspeita frente ao mundo. Cria a idéia de que a salvação dos homens será possível apenas dentro dos  estreitos limites das igrejas protestantes.

Os líderes fazem o possível para ocupar todo o tempo livre dos membros. Abarrota-lhes de reuniões, serviços, estudos e outras atividades que fazem com que a vida diária do adepto gire em torno das “supostas igrejas”. Costumam proibir categoricamente qualquer contato com culturas diferentes, avanço científico, literatura ou programas que não estão explicitamente escritos na Bíblia.

10) Sem exceção, ditam um código moral estreito que afetam todos os aspectos da vida de seus membros, a forma de vestir, a abstinência da dança, da música (não evangélica) etc. Tudo isso serve para separar do mundo os membros, dar-lhes uma identidade externa inconfundível, criar neles uma mentalidade de superioridade moral e reforçar em suas mentes a legitimidade da determinada “igreja protestante”.

11) Os líderes criam uma forte expectativa em seus membros quanto ao fim do mundo e a segunda vinda de Cristo. Esta postura de milenarismo ou adventismo resulta em um fanatismo dificilmente compreensível para aqueles que não compartilham da visão do fim iminente.

12) Já, os grupos de espiritualidade pentecostal, dão muita importância aos sinais exteriores como o falar em línguas, o transe místico, as visões, as choradeiras, etc… Algumas igrejas protestantes exercem uma sugestão poderosa sobre os seus para que se produzam estas manifestações de forma contínua nas reuniões dos adeptos.

13) Certas igrejas protestantes obrigam  seus membros a uma ação direta de proselitismo de porta em porta, pelas ruas, etc… Distribuindo mensagens como forma de ganhar novos adeptos e de fortalecer a convicção dos membros. Freqüentemente controlam os resultados do proselitismo de forma pública dentro da comunidade, o que serve de pressão aos membros menos inclinados a estar molestando estranhos com suas crenças particulares.

Autor: Jaime Francisco de Moura
SOU CATÓLICO… PODE ME ELOGIAR .  

ANALISANDO O PROTESTANTISMO (PARTE V)
.
É costume protestante, apresentar o erro partindo da meia-verdade, (e meia verdade é sempre uma mentira completa) Os lideres protestantes se alimentam e alimentam os incautos, inventando mentiras contra a Igreja Católica.As informações trazidas pelos “apologistas” protestantes são truncadas, e mentirosas.Ou seja, o protestantismo é mais uma iniciativa da Indústria da Desinformação.Todo Protestante se julga um “apologista” e como tal, pretende saber mais da História e da Doutrina da Igreja do que a própria Igreja.A “apologética” protestante vive não só de conjecturas absurdas, mas também de devaneios.

A “apologética” protestante é uma colcha de retalhos muito mal costurada

O Protestante diz que baseia sua Fé SOMENTE na Bíblia. (sola scritura)

Mas, para o protestante repudiar livros verdadeiramente sagrados, e dizer que os deuterocanônicos contêm heresias, ele embasa-se NÃO NA BÍBLIA, mas em devaneios e conjecturas absurdas.

Mas e o Tal Sola Scritura?

Enfim… O protestantismo é tão contraditório que é capaz de contradizer a si mesmo… Fantástico!

O Protestante por malandragem e para sustentar suas Heresias, nega as determinações dos Concílios dos Pais da Igreja.

Foi a Igreja que nos deu o cânon do AT e do NT. O que a Igreja ensina e afirma continua valendo, pois a História não muda, o passado não pode ser desfeito.

Para essa gente não importa o que os Concílios decidiram, caso contrário não confessariam o iconoclatismo (II Concílio de Nicéia) e etc.

Essa é a brilhante apologética protestante, esta é a escola onde o protestante é forjado.

A mente desta gente é tão funesta que dizem:

mesmo que a Igreja tenha definido o Cânon, não lhe devemos obediência. Será que o Gato comeu da Bíblia protestante as palavras de S. Paulo de que ” A Igreja é a Coluna e o Fundamento da Verdade” (cf. 1Tm 3,15)? Os equívocos contraditórios nos quais o protestante se apóia, sempre encerram o argumento protestante com “chave-de-lata”. Será que o Gato também comeu da Bíblia protestante 2 Ts 2,15 onde S. Paulo nos manda guardar tanto os ensinamentos orais (Sagrada Tradição) quando os escritos (Sagrada Escritura)?Dizem eles que devemos seguir os ventos de doutrina…Que coisa não?São nestas bobagens que se apóia o Protestantismo.DEMAPRO: DEsmascarando MAnobras PROtestantes.ANALISANDO O PROTESTANTISMO (PARTE VI)
.
Tal qual o demônio, os protestantes tem um ferrenho, ardente e nutrido ódio pela Igreja Católica, pois ela é a barreira intransponível que os ídolos dos crentes, os Pastores, tem pela frente.O princípio de ódio a verdadeira Santa Igreja é uma filosofia perpetrada pelos agentes e proprietários de seitas protestantes, pois os seus latifúndios e produtos da falsidade cristã não encontra respaldo diante da integra misericórdia de Jesus Cristo.Boa parte dos Crentes, são ‘treinados’ para combater, invalidar e destruir a Santa Igreja. Para isso adotam uma linha de ataque impetuoso a Nossa Senhora, as Santificações e ao Santo Papa.Em 500 anos de existência, os Hereges jamais produziram, e jamais produzirão,um Santo Agostinho, Um São Francisco, Um João Paulo II….Em oposição a desencontrada e fraudulenta atuação Protestante, a Igreja Católica, ainda que diante de épocas censuráveis, tem na sua integra e inabalável essência, o retrato legitimo de Jesus Cristo desde da sucessão apostólica passando por todo o legado de devoções e santificações, inclusive reconhecidas, respeitada e compactuadas por diversas outras doutrinas.A tática dos hereges é simples. Bíblia na mão, uma boa dose de fundamentalismo ‘tosco’, interpretações ‘advogadas’ de versículos e passagens, bastante inveja e um contundente ataque a herança católica.

Coisas do fanatismo.

E DÁ-LHE DEMAPRO

DESMASCARANDO MANOBRAS PROTESTANTES

SOU CATÓLICO… PODE ME ELOGIAR .