PORQUE DEVO ABANDONAR O PROTESTANTISMO?.

Aprenda agora, como se livrar do Protestantismo e se tornar um autentico Cristão

Um protestante sincero, que estivesse em sua seita por ignorância invencível, teria que praticar sinceramente o que ensina a sua seita protestante.

Como todas elas mandam ler a Bíblia, ele teria que ler a Bíblia com atenção e respeito.

Ora, ao ler a Bíblia, ele encontraria que, nos Atos do Apóstolos, o eunuco da Rainha de Candace diz que não adiante ler a Bíblia, sem ter alguém que a explique (Atos 8,31).

E esse protestante supostamente sincero, lê a Bíblia sem que ninguém lha explique, pois para o protestante, não é necessário que ninguém explique a Bíblia a ninguém.

Todos seriam inspirados pelo Espírito Santo, o ler a Sagrada Escritura, entendendo-a infalivelmente.

Mas, então, como é que o eunuco da rainha, afirmou, na Bíblia, que não pode se entender a Bíblia, se alguém não a explica?

Por acaso o Espírito Santo teria deixado de atender ao eunuco, enquanto ele lia a Bíblia?

Mas que espírito desleixado ou distraído !…

Esse protestante leria, com os seus olhos, que a Bíblia afirma que “A fé vem pelo ouvido” (Rom 10, 17).

E para o protestante a fé vem pelos olhos, vem pela leitura. E não pelo ouvido.

Ao ler isso, nosso suposto protestante de boa fé, começaria a se perguntar se o protestantismo, de fato, é certo.

Mais adiante, ele leria que no Evangelho de São Lucas, Isabel saudou Maria chamando-a de “Mãe de meu Senhor”.

E que todas as gerações chamariam Maria de bem aventuradada. ..

Exceto a geração de Lutero, que se recusa louvar a Maria…

Esse protestante sincero e de boa fé — em ignorância já meio vencida — leria que, na Cruz, Cristo disse:

“Mulher, eis aí o teu filho. E, dirigindo-se ao discípulo, disse-lhe: “Filho, eis aí tua mãe”. ( Luc 19. 26-27).

Depois de ler, esse testamento de Cristo, como esse protestante “sincero” como poderia ele continuar a chamar a Mãe de Cristo, e nossa Mãe misericordiosa, apenas de “a Maria”, como os protestantes normalmente o fazem?

E depois de ler que Cristo deu a PEDRO, as chaves do Reino dos céus, e lhe confiou a missão de apascentar cardeiros e ovelhas de Cristo, como continuar protestante, negando o pastor único estabelecido por Cristo?

Como continuar sincero protestante, (agora, sincero sem aspas)?

E ademais de ler a Bíblia – que condena de mil modos o protestantismo — esse protestante estranhamente “sincero” deveria também estudar as origens do protestantismo. Deveria estudar a vida de Lutero.

Lendo essa vida, e lendo suas Tische Redden — suas “Conversas à Mesa”– veria que o heresiarca de Wittenberg chamou Cristo de adúltero e de bêbado (Luthero, Tische Redden, ed Weimar, II, 107, n*1472 , apud F. F. Brentano, Lutero, p 151.) .

Lendo as obras do heresiarca, veria que, para Lutero, quanto mais o homem pecasse, mais provaria ter fé. Daí o princípio protestante: “Crê firmemente, e peca muitas vezes”.

Pesquisando os cadernos de anotação de Lutero, ficaria sabendo que, para esse herege, Cristo era Deus e o diabo, ao mesmo tempo (Cfr. Theobald Beer, Der frölich Wecsel un Streit, e 30 Giorni, Ano VII, n*2, Fevereiro de 1992, p. 34 seg, ).

Vemos então que não seria difícil a um protestante — “sincero” – descobrir que a “Reforma” foi uma rebelião contra a Igreja de Cristo, e que lhe era dever de consciência tornar-se Católico.

E se um protestante sincero, lesse a Bíblia com atenção e respeito, saberia que para salvar-se não basta ter fé, é preciso praticar boas obras, conforme ensina São Tiago.
CONCLUSÃO


“Se alguém ensina alguma outra doutrina e não concorda com as sãs palavras do nosso Senhor Jesus Cristo e com o ensino que santifica, é enfatuado, nada entende, mas delira acerca de questões e contendas de palavras, das quais nascem invejas, porfias, blasfêmias, suspeitas ruins, contendas de homens corruptos de entendimento, e privados da verdade, supondo que a santificação [através da pregação do Evangelho] é uma fonte de lucro. Porém, grande fonte de lucro está de fato na santificação com contentamento. Porque nada trouxemos para este mundo, nem coisa alguma podemos levar dele. Mas tendo sustento e com que nos cobrir, estejamos com isto contentes. Mas os que querem ser ricos caem em tentação e em cilada, em muitas concupiscências loucas e perniciosas, as quais submergem os homens na perdição e ruína. Porque o amor ao dinheiro é a raiz de todos os males; e alguns nessa cobiça se desviaram da fé e a si mesmos se atormentaram com muitas dores”
(1Tm 6,3-10).

“A Igreja é a Coluna e o Fundamento da Verdade” (1 Tim 3,15 )

QUEM TEM OUVIDOS OUÇA

“Sou Católico…. Pode Me Elogiar.”